sexta-feira, março 27, 2009

Que te importa?

Ando tentando dizer, não sei exatamente a intensidade disso, dizer alguma coisa que mude tudo, ou pelo menos termine essa fase. Li tudo que tive vontade. Procurei palavras novas, mudei de ares, me refiz. Pra quê? Agora, aqui sentada, caneta em punho e não me vêm nada.
Ultrapassei meu mundo, rompi fronteira, quebrei vidraças, me feri, sangrei sangrei e acho que até hoje ainda retiro cacos de vidros das mãos. Testei-me, testei-o, testei a todos. Até onde você suporta ouvir? Calei-me. Eu tenho um grande problema sei que tenho, só não lembro onde guardei. Eu tenho uma forma tão bonita... Que ninguém nunca viu, tenho medo de mostrar-me inteira e pura, sem proteções, por isso sou em partes suja, às vezes, para todo mundo, mas o que te importa?
Tento ser assim tão humana quanto você, sinto muito, porém, eu não minto tão bem assim. Sabe, eu dou o maior valor e até invejo a senhora que mora na frente do banco central, quando ele fecha, passo e a vejo brincando de boneca. Desculpe, a acho mais humana que você, ela ri, chora, se importa, ignora, senti frio, calor e dor. Tudo sem fugas ingênuas, a sua maior fuga é continuar viva.
Qual é a sua? Onde está a saída? Abra a porta. Essa conversa está pesada mesmo. Chá? Sente-se não há lugar nenhum para ir, qualquer lugar é bom lugar e qualquer hora é boa. Não, não consigo mesmo só sentar e fazer cara de paisagem. Eu sinto, como falei ainda tenho cacos de vidros nas mãos. Não! Curativo não resolve. Você ainda não entendeu não é? Eu não gosto de você “ser humano”.
Pra você nada disso importa, eu ainda não sou boa. Quem disse que quero ser? Ignore a minha falta de deixas, concordo, nunca fui boa mesmo. Verdade, eu sou o centro do meu mundo, você só esqueceu de dizer que ele (meu mundo) gira com o único intuito de não destruir o seu. Lembre-se mundos coexistem.

Um comentário:

Tata disse...

deliciosa verborragia...