sábado, maio 23, 2009

Indigesto.

Azia. Quando penso em você é o que me dá. Eu sei que é assunto velho, que na verdade, nem verdade foi, e que ainda estou remoendo o que não houve. Também lembro que matei você num outro texto a algum tempo atrás. Quero avisar de antemão, continua morto viu?! Só que eu achei um foto sua por aqui jogada, um sentimento meu por você estava guardado do lado dela. Agora que começo a pensar que se talvez eu arrumasse o quarto com mais frequência, eu não reviveria esse tipo de coisa.
Alemanha. Lembrei outro dia quanto te contei minha vontade inexplicavél de ir lá, a sua cara, aquela possibilidade de amor toda, será que você seria capaz de me amar por causa da sua vontade de ir a Alemanha também? Faria algum sentido se isso acontecesse?!
Tudo, ainda bem, aconteceu da melhor forma, para ambos, apesar da não possibilidade de viajar no momento. Nem sei o que quero dizer com isso tudo, onde quero chegar, que diálogo eu penso que posso estabelecer com o menino mudo. Calado sempre.
Ele falou um dia, eu lembro, me disse o que eu queria, um não.

2 comentários:

Anne Danielle disse...

Eu queria muito saber que, nem que fosse só por um instante, ele se arrependeu muito profundamente por ter dito "o que você queria".

Fláviabin disse...

acho que não Dani. Ele foi muito sincero dizendo pra mim a minha verdade, quase como se eu pudesse ouvir da boca dele as minhas próprias palavras.