domingo, fevereiro 18, 2007

Meu coração e eu


No momento,
pode parecer que eu não sinto mais nada.
Mas acredite, ainda existe.
Só que tudo hoje é diferente
estamos evoluindo,
o meu coração e eu.
E isso pode levar um tempo...
Será que aquela paciência ainda existe?
Dedique-me esse tempo.
Nada mais justo,
essa paixão madura me assusta,
esse ritmo...
Ainda não aprendi,
ainda não conseguimos entrar no compasso.
Pobre coração descompaçado;
que não consegue bater no ritmo certo,
no ritmo que esse amor exige.
Pobre coração exausto,
de tanto que corre para acompanhar;
de tanto que chora pra comover;
pobre de mim ora bolas!
que testemunho todos os tropeços;
que sofro assistindo meu coração inseguro sangrar de medo,
de tanto que se espreme pra se esconder.
E fica tão pequenininho,
que acaba se perdendo na grande caixa,
entre entranhas, músculos e sonhos.
Bobo, bobo...
Vive a sonhar:
com um daqueles beijos;
com um novo toque;
com novos suspiros e frenesi.
Adoraria vê-lo lúcido.
Adoraria vê-lo inteiro também.
Não, não precisa bater no ritmo certo,
nem acompanhar o compasso.
Deixe-me apenas senti-lo.
No momento até pode parecer que ele deixou de existir,
mas acredite ele ainda existe.
Só que tudo hoje é diferente.
Estamos procurando espaço para expandir aqui dentro,
meu coração e eu.

5 comentários:

Diego disse...

gosto muito desse seu texto, apesar de achar que a tela deveria ficar irradiada de vermelho

é essa a imagem q me vem à cabeça

vaca amarela disse...

seu coraçao vc e nós que amamos vc!!!
saudade...emoçao..amor!!!
aiai..
ti amu..
e quero ver vc antes de ir viu minah euqena filhota??
beijos!!


p.s.: texto lindo!!

Diego disse...

se bem q essa marca de impressão digital no coração foi uma ótima escolha

o texto é indiscutível

excelente

Débora Dias disse...

no comments...
lindao!!!
um xero!!!

Diego disse...

Como sempre em construção, só que dessa vez é da estrutura, do mural, da parede, do blog. Um pougo de tag ali, interface aqui, html por toda parte...

bjo bjo minha vida, tô com saudade de seus posts