quarta-feira, outubro 18, 2006

** Ridículo! **


As vezes eu passo horas da madrugada na frente do computador, a insônia e o medo de dormir sozinha incentivam. Fico aqui calejando a bunda, cometendo alguns crimes, roubando um pouco de cada pessoa interessante que me oferece via internet e sem me conhecer, um pouco da vida que um dia eu quis, porém a falta de tempo e de oportunidades me privou, e até um pouco da vida que eu nunca quis viver mais que me parece tão real, tal menos cruel e até mais genial que a minha.
Então fico aqui lendo blogs inteiros de pessoas surpreendentes que vivem a milhões de quilômetros e que além da distância nem me conhecem, e ainda sim me proporcionam a experiência maravilhosa de me encontrar. Não sou genial como muitas dessas pessoas e, com certeza se algumas aparecessem por aqui, acharia o meu blog e a minha vida altamente desinteressante, apesar de eu gostar muito de boa parte dela.
Prefiro continuar assim, anônima, como mais um número no contador de visita de todos os blogs, visualizando perfis do orkut, comparando-me, igualando-me e enchendo minha cabeça de frustrações e metas. No fundo, eu sei exatamente porque desisti de fazer jornalismo e não foi só falta de grana não, foi também falta de confiança, assim como não divulgo o endereço desse blog por falta de confiança, sei o que acontece quando entro num blog sem graça, num perfil sem graça, lanço mão do alt + F4 sem olhar pra trás. De vida sem graça basta a minha, eu na verdade também acho que isso é só neura da minha parte, minha vida é divertida sim, mas não como a vida do vizinho, não tenho jardim, porém si tivesse teria sim que ser melhor que o do vizinho.
Quero me achar em algum lugar, mas na verdade acabo me perdendo, isso também é divertido me encontrar, quando desligo o computador, levanto da cadeira, ligo a luz (dormir de luz apagada nunca!) e deito na minha cama onde dormi desde de que me entendo por gente, olho pra janela e lembro quem sou e durmo pra acordar novamente achando que o que sou não é suficiente.

Um comentário:

o seu disse...

Nunca somos suficientes, na maioria das vezes somos desnecessários e até mesmo repugnantes. Esse pensamento, que hoje percebo como diz o título do texto, RIDÍCULO, permeia a mente de todos os normais (e nem venha pra cá, que eu estou incluso nessa estatística sim). Ridículo hoje porque vejo que você é essencial não somente na minha vida, mas na de outras pessoas (outras grandes pessoas), assim como eu e essas outras pessoas somos essenciais na sua vida e na de "outrens". Mas nunca estaremos sastisfeitos todos os dias, e isso é perfeito. Sempre teremos como galgar, aperfeiçoar e o AMOR se expande.
Por isso você é única: essa sua sede pelo inalcançável faz você atingir coisas inimagináveis. E eu como ator e espectador dessa história, sigo nosso rumo, feliz como nunca, e alcaçando o impensável...