quarta-feira, setembro 02, 2009

Não deixe que o "pensamento da boiada" faça você perder o rumo

Claro que eu não tenho certeza alguma sobre o que a vida que levo pretende, não conheço o roteiro não estudei as possibilidades, até porque as desconheço. Isso mesmo sigo assim ao sabor do vento...

Porém, e nisso sou bastante rígida, não deixo de saber nem por um momento o que não quero ser ou acabar sendo, o que não concordo e o que não apoio. Não sei onde estou indo, só sei que não estou perdido, acho que essa frase é bem batida, porém é bem assim que me sinto.

Tenho muitos amigos e muita coragem pra afirmar isso, e nós, mesmo com tantas coisas em comum somos muito diferentes. Escolhemos as vezes caminhos bastante distantes e acaba ficando até difícil de marcar um papinho. Essa possibilidade, ou melhor, essa realidade de não ser o outro me conforta. Mas é claro que ando por aí encontrando boiadas, que seguem o rumo do outro a tanto tempo que nunca foram capazes de perceber isso. Difícil né? Imaginar-se nessa posição, essa submissão toda. Mas acontece...
Pois é, o que importa mesmo é o que a gente é, os objetivos que a gente tem. Cada cabeça um mundo, e comigo é assim: cada mundo com seu guia.

Um comentário:

Tata disse...

lembrei de um lindo poema, josé régio, que termina assim: "não sei por onde vou, não sei para onde vou. sei que não vou por aí."