terça-feira, julho 21, 2009

"Tão estranho carregar uma vida inteira no corpo, e ninguém suspeitar dos traumas, das quedas, dos medos, dos choros."*

Queria que pelo menos alguém um dia, levasse em conta o que vivi, o que tenho vivido, o quanto já cai e o quanto levantei em consideração antes de julgar-me. Sei que o que vivi não me livra das minhas falhas, nem quero que isso aconteça, só estou pedindo pra chegar devagar que eu ando frágil, pra não gritar que estou pensando e ando lenta por fora, em alta velocidade por dentro.
Que eu ando precisando da compreensão dos sábios...

*Caio Fernando Abreu

2 comentários:

Barbara disse...

Ninguém suspeita de nada que a nossa experiência interna nos faz viver.
Desejo que sua lentidão também se faça por dentro, pois às vezes, é hora de silenciar tudo.

Tata disse...

taí uma grande loucura. as pessoas olham de fora, julgam isso, julgam aquilo, mas pouquíssimos sabem o q é de fato. cada nuance, cada meio-tom. por isso é tão especial qdo a gente encontra alguém com quem se pode dar a conhecer por inteiro...
bjo!