terça-feira, novembro 18, 2008

Serenidade

No sábado tentei explicar-lhe o que é essa serenidade que sinto talvez você não tenha entendido nada. Eu também demorei muito pra entender, e nem acho que consigo entender tudo tudinho então não se preocupe. É bom assim não desvendar o sentimento todo, reconhecê-lo, descobri-lo, acolhê-lo todos os dias. Eu nunca me reconheci em nada com muita certeza, acho que sou, mais no fundo sei, sou só dúvida. Posso não ver com clareza muitas coisas e admito sem receios de me entregar demais a você, mas o que reconheço me importa. O que reconheço existe. O que reconheço é em parte o que eu sou.
Assim vou me encontrando dentro de sentimentos, planos e pessoas. Estou em tudo mesmo que quase sempre eu esteja completamente no fundo de mim.

2 comentários:

Diego Couto disse...

...

Tata disse...

no fim, as coisas que não conseguimos explicar são as mais belas. sempre assim.
bjo!